quinta-feira, 14 de maio de 2015

Interpretação + Feliz Cumpleaños Anahi

O minhas magrelas ❤

Li meu último post, era uma canção, não daquela forma, mas era uma canção. Adaptei e escrevi exatamente o que sentia em meu coração. Ficou confuso, justamente, eu estava confusa, desnorteada. Se era uma despedida? - talvez, mas olha eu aqui novamente...
Relendo me vi nos conceitos do que cada frase daquele post significava pra mim, e hoje quero explicar a vocês cada parte, transcrever como se me analisasse, e ler meu texto (escrito baseado numa canção da Anahi) modificado para a minha melancolia momentânea.


"Não é culpa da vida, nem de quem me fez mal."
 - Não, não é. Todas as pessoas que me chamaram de gorda, que riram, desprezaram. Não é culpa de ninguém a não ser minha, se eu não fosse gorda não sofreria. Simples assim.

"Eu mesma me maltrato."
 - Talvez seja a parte mais óbvia. Sempre me castiguei por não ser quem desejava ser. Provocar vômito não é um ato de carinho com meu corpo, vamos combinar. Todas as loucuras me renderam cicatrizes internas, espirituais e talvez físicas também.

"Não é culpa da lua nem do universo."
 - Quantas vezes perguntei a Deus: "Porque eu?" Mas o que me fez pensar que eu não merecia? No fundo todo castigo é pouco e depois de tantos deslizes não posso culpar ninguém, nem a Deus. Meu universo.

"Meu instinto segue doente, não sabe direcionar meu coração."
 - O que posso dizer? Esse não é o caminho. Já não vejo um final feliz para mim. Meu instinto é desgovernado, tem prioridades fúteis. Meu coração já remendei de todas as formas para manter a parte boa que ainda vive em mim. A melhor referência que tenho em relação ao meu coração é a sensação de quando ele pode parar de tão rápido que bate, o que só a ana me proporciona.

"Sempre menti para mim, perdida no meu olhar."
 - Segui sonhando com um corpo que nunca, jamais será meu. É muito simples EU NÃO SEREI COMO A ANAHI! Continuo insistindo em inspirar-me naquele corpo que eu nunca terei. Eu minto e tento me convencer que eu posso, a verdade é que não posso.

"O que estou buscando agora se não me resta nada?"
 - No momento o que eu pensava era: acabou, não aguento mais! Sinto minha alma machucada, imaginem uma fina renda branca cheia de buracos. É minha alma. Tem um momento da sua vida que comer vomitar comer vomitar fazer dieta fracassar vomitar comer vomitar comer fazer dieta fracassar e vomitar cansa. Você diz pra si mesma: "Eu não quero mais isso pra mim" aí olha pro lado e pensa: "E agora?" Agora não me resta nada. O que posso buscar? O transtorno te prende.

"Despertarte Absurda."
 - Acorda garota burra. Foi o que pensei. Absurda: menina incompressível, louca, que impressiona, desordenada, sem um rumo, que sofre, eu já disse incompreensível?

"Não quero seguir pelo escuro."
 - Me referi a anamia, afinal não é um caminho iluminado. Não me dá orgulho, não me faz bem. Mas me trouxe um dos melhores momentos da minha vida. Mas sinceramente não é uma coisa que eu queira levar pro resto da vida.

"Eu nunca me quis eu só me fiz provar da loucura."
 - Sinceramente eu jamais me amei na minha vida! E quem me garante, que se eu emagrecer vou gostar um pouco de mim? Alguém me garante? Toda essa loucura vai servir pra alguma coisa?

"Perdoa-te Absurda, a vida não é isso..."
 - Acho que preciso me perdoar, guardo em meu coração uma série de rancores comigo mesma. Dos meus erros, tão graves, tão bobos podiam ter sido evitados. Mas o perdão não é só uma palavra, tem que ser verdadeiro e eu ainda não consegui. A vida que imagino ser boa, saudável passa longe da minha realidade.

"Quero levantar do chão, me vejo voar."
 - Sim eu desejo me livrar desse carma. Mas como eu posso desistir de uma doença? Sobre me ver voar, é que eu ainda sinto em meu coração que tenho chances de ter um futuro legal e que nem tudo está perdido, seria até um surto de otimismo dizer que tenho esperanças de ser bonita.

"Desisto desse jogo, onde já sei que não vou ganhar..."
 - É fato que não sairei vitoriosa disso tudo. E sim eu desisti. Mas quantas vezes mesmo eu desisti de ser doente? E quantas vezes mesmo deu certo?

"A princesa de um conto que não existe niña Absurda diga adeus ao que se foi."
 - Eu não vivo minha vida, vivo a de outras pessoas. Eu não vivo um conto de fadas, não tenho história pra contar. Meus dias passam aleatórios como se eu fosse mais uma só pra fazer volume, quantidade. Uma figurante. Garota burra. Quero me despedir de lembranças infelizes.


Falta uma frase, não é Anita Perfeita?

"Sempre há um verão depois, depois do inverno."

Não consegui de maneira nenhuma encaixar essa parte da canção em meu texto. Afinal eu escrevi o que sentia, e não sentia isso. Ainda não sinto. Mas eu acredito. E no fim de tudo minha lição de vida continua a mesma:

"Acredite no que quiser, porém acredite. Acredite de verdade. Se você acredita é possível."


p.s.: Agradeço quem chegou até aqui, agradeço com todo meu coração a presença de vocês na minha vida e peço perdão por não estar a altura, por não estar podendo retribuir todo esse carinho.

Hoje é um dia muito especial pra mim.

Feliz Cumpleaños Anahi









































 



4 comentários:

  1. "A princesa de um conto que não existe niña Absurda diga adeus ao que se foi." - Eu não vivo minha vida, vivo a de outras pessoas. Eu não vivo um conto de fadas, não tenho história pra contar. Meus dias passam aleatórios como se eu fosse mais uma só pra fazer volume, quantidade. Uma figurante. Garota burra. Quero me despedir de lembranças infelizes.

    Apenas me identifiquei!

    ResponderExcluir
  2. Oi Any!
    Senti falta das suas postagens, de você sempre presente aqui no blog. Mas vejo que está passando por momentos difíceis, me parece uma avalanche de sentimentos.
    Acho que uma das partes mais profundas (ou que me marcou mais) do post, é o início em que diz que a culpa dos seus sofrimentos é toda sua, não... não é assim. Não importa se é gorda, magra, lésbica, negra, religiosa, alta, baixinha... Todas tem direito de serem respeitadas, as palavras e críticas que nos fazem marcam, são feridas que muitas vezes nos empurram na direção errada, não é por ouvirmos tantas vezes que somos gordas demais, que chegamos ao ponto de passar fome para emagrecer? Ao ponto de vomitar qualquer coisa que colocamos no estômago? Pois bem, a culpa não é nossa, não que não tenhamos uma parcela de responsabilidade nisso, mas a culpa não é toda nossa.
    Sei que tem um momento em que nós olhamos pro lado e parece que não há mais nada pra nós, parece que a vida é um total fracasso. Mas nunca é tarde, acredite. Liberte-se dessa cupa que tem te prendido, levante-se e siga em frente.
    Não, não é fácil, mas eu tenho certeza que você é capaz!
    Você é linda Any, gentil, doce, carinhosa, inteligente. Menina cheia de potencial! Eu não vou desistir de ti, como sua amiga saiba que acredito em você e estou torcendo pelo seu sucesso e felicidade.
    Não desiste fadinha! Estamos juntas, lembra?

    ResponderExcluir