domingo, 18 de janeiro de 2015

"Assustada! Andando em círculos. Estou debaixo da terra. Eu caio, sim eu caio. Estou enlouquecendo! Onde eu estou agora? De cabeça pra baixo! Não posso parar isso agora. Isso não pode me parar agora. Eu vou vencer. Vou sobreviver. Quando o mundo estiver se partindo Quando eu finalmente atingir o chão eu irei me virar. Não tente me parar Não vou chorar, eu estou no país das maravilhas! De pé novamente. Isso é real? É fingimento? Vou me defender até o fim. Eu vou vencer. Vou sobreviver. Quando o mundo estiver se partindo. Quando eu finalmente atingir o chão Eu irei me virar!" /ALICE-Avril\ Olá mis amores o/ como vocês estão? Acho que andei preocupando vocês, sorry :( os dias têm sido amargos comigo, a mia me faz sentir um verme, mas é um alívio, minha amiga e nem sempre amigos fazem um bem total. Caramba eu não consigo parar! Não dá, não me peçam o impossível, please. Posso prometer algo: PROMETO A PARTIR DE HOJE (18/01/15) NÃO COMER PARA VOMITAR, SOMENTE PROVOCAREI O VÔMITO EM UMA COMPULSÃO. Pronto, prometi. Pra quem não entendeu é o seguinte: tem dias que eu como pra vomitar, porque eu quero comer pra vomitar, é planejado. Sempre estou sozinha nestes casos, sempre tenho coisas boas à mão pra esse meu costume. Já quando mio por compulsão é quando como algo, geralmente na companhia de outros, e então provoco o vômito por culpa eterna, como na minha postagem com às batatas fritas. Depois do surto do último post ainda sofri por um dia, então meu cérebro queimou e eu não consigo pensar em outra coisa além de comprar futilidades :x ando me iludindo bastante, até assinei CAPRICHO haushaus já faz tempo que eu queria mas a coragem de ligar cadê? Eu fiz 18 anos e pedi pro namorido assinar pra mim :D foi ótimo! A única coisa que fiz estes últimos dias foi ler sites de moda e derivados, também devo ter refeito minha lista de materiais escolares e necessaire umas 5.000 vezes, EXAGEREI mesmo, farei de tudo pra comprar tudo que está lá. Comprar me acalma, principalmente quando não me arrependo depois. Já tenho o dinheiro da academia e das luzes que serão feitas provavelmente na terça #rumoaoplatinadoperfeito agora pro resto das minhas coisas não sei a quem vou assaltar, aliás até sei kkkk namorido vai bancar, em troca me entregarei a missão de ser a mulher mais bela da turma e cumprir suas vontades - prostituição? - porque não? Não assinei nenhum papel dizendo que eu tinha que dar prazer a ele em troca de nada, ouras, quero meus desejos de consumo cumpridos e darei os dele, saímos os dois satisfeitos (eu principalmente porque vou ter minhas futilidades, academia, salão e ainda sexo) muito bom não? Tenho que ser diferente este ano, estive me olhando no espelho estou a semanas sem por maquiagem nos olhos, a meses sem por no rosto, só usando batom. Vi tudo, as marcas, espinhas, a merda do nariz, meus olhos pequenos e minha boca grande. Algumas meninas conhecem meus traços. Sabe que se olhar bem você encontra um pouco de beleza, um pouco de feminilidade. Talvez eu não seja tão horrível de rosto. Se eu por o cabelo de lado e a franja no rosto talvez eu posso esconder um pouco da asimetria que existe em mim. Meus olhos cor-de-nada e minha palidez andam me agradando mais que o normal. Incrível. Tenho itens de make que a Lore Flores vai me ajudar a escolher, porque estou com muita dificuldade com o BBcream. Quando eu reativar o whats nós falaremos sobre isso, aliás pras minhas magrelas; estou sem o whats, quis dar um tempo pra me desligar de tudo e apenas ler um bom livro. Como vocês já sabem li A CULPA É DAS ESTRELAS e não me impressionei, pelo o que meus amigos tinham falado, nooossa depositei expectativas que não se cumpriram. Achei que o livro deveria ser mais emocionante, mais dramático, mais trágico. Eles visitam o carinha lá que escreve o livro e quando chegam derrepente estão transando o.O quando Augustus morre tão derrepente sem um acontecimento mais impactante a menina (que esqueci o nome) não me passa o sofrimento necessário para arrancar lágrimas, mas ok. Felizmente, muito felizmente 50 TONS DE CINZA vem me encantando de um jeito absurdo, amando e LOUCA pra assistir o filme que estará nos cinemas em fevereiro. Outros que preenchem minha lista de espera da leitura é A ÚLTIMA MÚSICA (velinho) e - se não me engano o nome é esse - CIDADE DE PAPEL de John Green que também terá um filme pra ser lançado em março se não me engano. Fora isso me resumo a pensar em minhas compras e planeja-las para que eu não faça nenhuma cagada. Espero vir aqui feliz em mostrar meu cabelo "novo" e também gostaria de mostrar meus preparatórios para às aulas haushaus se não for muito incômodo, não tenho muito com quem compartilhar isso, sobra tudo pra Lore rs. Olhem vejam só o post fugiu totalmente do "anamia" bom posso lhes adiantar, nunca estive tão gorda, mas com esperanças na mudança do meu esterno e interno. Depositando meus sonhos em um pote. Tentando não me machucar, tentando me reconstituir. Obrigada por estarem ao meu lado em todos os momentos, pessoas novas <3 data-blogger-escaped-aceitarem="" data-blogger-escaped-apaixonada="" data-blogger-escaped-em="" data-blogger-escaped-estou="" data-blogger-escaped-i="" data-blogger-escaped-me="" data-blogger-escaped-obrigada="" data-blogger-escaped-por="" data-blogger-escaped-s="" data-blogger-escaped-suas="" data-blogger-escaped-vidas.="" data-blogger-escaped-voc="">

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Você não pode escolher não se ferir neste mundo, mas você pode escolher não ferir os outros. Eu simplesmente não agüento mais, eu não sou forte suficiente pra encarar esse mundo. Eu não posso morrer! Isso é muito injusto. Eu não posso morrer. Nem isso eu não posso. Mulheres como eu deviam ter seus úteros arrancados logo ao nascerem, pra não correrem o risco de por um inocente no mundo pra compartilhar sofrimentos. Eu não sei como criar minha filha! Eu não sei meu Deus. Eu não sei. Próximo mês ela vai começar a estudar... mas eu não quero que ela vá, ela não precisa ficar longe de mim, eu não quero que sofra, eu não quero que ela corra riscos. E se a maltrarem, se a machucarem, se matarem... só assim posso morrer. Não!!! Não por favor não. Eu não quero isso, não quero. Eu preciso de um analgésico forte, eu preciso ler mais, pesquisar como ser a melhor mãe possível. Porque eu não sei como fazer, eu não consigo imaginar certas situações. Ser boa, ser completa, quero ser o suficiente. Mas a única coisa em q me preocupo é com meu nariz, e como ele é torto. Ridiculamente torto. Não consigo dormir. Talvez agora, chorar da sono. Sou tão pessimista, não quero atrair coisas ruins, mas porque prevejo tragédias em minha vida? Me assombro é pior que um pesadelo. Eu quero morrer, mas eu não posso. Meu problema vai muito além de ser gorda, eu sou louca. Eu li A Culpa é das Estrelas, é interessante, mas eu esperava mais, ele não é tão UAU mas é bem legal. Prefiro Crepúsculo. Não me julguem, a saga Crepúsculo não é idiota, é literatura. Aprendi bastante com os quatro livros então não me venham dizer que é só historinha surreal para adolescentes iludidas, porque não é. TODOS têm preconceitos, até com livros. Estou of line. Tentando apenas ler e refletir. Mas meus pensamentos destrutivos estão dificultando um pouco. Eu preciso proteger as pessoas que amo, eu sou muito perigosa. Ser "eu" está fora de questão. Preciso fingir, controlar. Encobrir, não sentir, não deixar saber. AS PESSOAS NÃO PRECISAM DE MAIS PROBLEMAS!!! Eu não sou só meu problema, sou meu mostro. Tenho voltado a ter alucinações, leves, mas assustadoras. Tenho visto pessoas mortas agachadas me encarando a todo momento a alguns dias, olho de relance e vejo levo um susto e logo que vejo novamente vejo que não era. É só minha mente suicida me arrastando para o poço da loucura. Eu gostaria de ser um pouquinho mais feliz. Preciso me ocupar. Mente vazia... Ainda quero morrer, mas não sei bem porque. Eu não sei o que vem depois da morte, então porque desejo o desconhecido? A esperança é o nada, que eu simplesmente pare de sentir. Me livrar do medo, me livrar da angústia, me livrar da culpa, quero me livrar de mim. Parar de ouvir, quero que esses espíritos me deixem em paz! Quem pode me ajudar? Eu não tenho jeito, e é aí a minha preocupação: minha filha. Ela depende de mim, eu vivo pra ela, eu serei o exemplo a ser seguido, mas não sei ser boa. Euv sou um reflexo em umc espelho quebrado. Distorcido. Inútil. O que eu posso oferecer a ela? Preciso descobrir como fingir ser boa o suficiente pra ela. Desto de viver minha vida. EU NÃO MEREÇO UMA VIDA! Viverei a dela, pra ela, por ela. Preciso me refazer, preciso rever minhas prioridades. A bulimia não vai me deixar. Eu sei que não. Mas tenho esperança que diminua a intensidade, pelo menos da loucura e dos surtos de choro. Vou tentar me manter viva, viver mais uns anos, mesmo que minha vida pessoal seja minha pior frustração, eu tenho a chance guia-la. Não sei o que dizer que ela faça porque não sou adepta de tomar decisões corretas, mas sei exatamente o que dizer que ela não faça. BREATHE. Eu queria respirar, mas eu estou presa a correntes tem uma máscara que me sufoca, meu corpo está aparentemente bem por fora, se digerindo por dentro. Minha alma mutilada, em pedaços, sangrando. Fé meu Deus eu preciso de ti. Salva-me... Não me deixem cair

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Mia

Passei a tarde com esta gorda fraca e nossa, como ela me deu trabalho! Já vinha desde o aniversário dela comendo como louca, só que percebi que as miadas vinham diminuindo, então passei "Calma aí tá pensando o que?" querendo se livrar de mim Any, onde já se viu? Hoje ela entrou no automático, enquanto a mãe dela gritava dizendo pra ela como ela é inútil e gorda, ela descascava batatas inglesas. Quatro batatas. Descascava na intenção de fritar para comer. Foi que ela fez. Começou a comer as batatas fritas. Que gostosas não é? Então come come e come... Eu só observava, queria ver até onde a burrice dela chegaria. Chegou na quarta batata. Na quarta batata ela já estava empanturrada lerda. Percebi ela olhar para o prato, sentir o cheiro, que já não era tão agradável, ela via os lenços se despedaçando de tanta gordura. Então eu ri. Eu ri alto. Ela já estava em mim, já planejava como seria. Depois do terceiro prato ela não tomou mais refrigerante, não tomou porque sabe que o excesso de líquido atrapalha. Ela já estava cheia, enjoada. Mas ela comeu, até a última. Quatro batatas. Come desgraçada. Um gole de água natural. Cinco minutos... 5 ... 4 ... 3 ... 2 ... 1 ... Agora! Entra no banheiro, facha a porta, acende a luz, mp3 a toda altura. Confere. Tampa levantada, recipiente com água no chão. Tudo ok. Pode começar. Ela molha os dedos indicador e médio pra facilitar a ânsia. Movimente, aperte, aguente. Ela coloca aquilo pra fora, ela tem nojo, então pra que ela come? Vou dizer a vocês miar batata frita com refrigerante não é legal. Any aprendeu da pior maneira. Percebi que ela estava parando. "Esta bom" Não não está, eu respondi. "Já não agüento" Agüenta sim, continua. Ela me obedece, ela tem que obedecer. Seus olhos cor-de-nada estavam vermelhos, pediam por clemência. Continue. Quarto batatas. Force um pouco mais. "Já não está saindo quase nada" Continue, force. Mais um jato de massa e gordura veio com toda força, eu disse a ela: Você não sabe de nada criança, você ainda tem muita comida gorda nesse estômago. Continue, force mais. Isso! Viu? Me ouça, me siga. Mais um jato. Quatro batatas. Não chore, não pare. Molhe os dedos. Continue. Se não fosse tão fraca não estaria aqui, se não comesse já seria magra, você não dá orgulho. Vamos force. Chorar já não adianta! Ela começou a sentir uma dor aguda no meio das costas que parecia atravessar seu corpo e tocar o estômago. Fracassa, já quer parar? Devia vomitar teu estômago, só assim pararia de comer. Continue. Molhe os dedos. Mais um jato. Continue. Quatro batatas. Bile. Vomite a bile. Continue. Vomite a saliva. Vamos continue. Desistiu? Sua fraca! Ainda não era o bastante, mas tudo bem, dessa vez ela aprende. Limpa o banheiro, descarga 1, 2, 3. Desinfetante. Banho. Ela banhou, lavou as louças. Banhou novamente. Então ela pôs o jantar para cozinhar, tomou comprimidos de franol, limpou o chão. Banhou novamente. Ela viu gordura na louça, nas comida, no chão. Ela se sente suja. Alguém avisa pra ela que banho não tira banha. É louca essa menina, e é dessas que eu gosto. E vocês não venham falar que sou má. Ora, Any tem que me agradecer, hoje pelo menos ela poderá transar! Não sem culpa é claro porque continua uma vaca, mas pelo menos o estômago não vai estar estufado. As dores são o de menos, quem se importa? Ficarei ao lado dela e devo vos lembrar: ❤ O vazio é bom. O vazio é forte. ❤

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Feliz Cumpleaños Anahi

Não é uma data feliz, não gosto nem um pouco. Devia ter sido evitada pra falar a verdade, me pouparia de tanto sofrimento e pouparia os outros de ter que me suportar. Eu sei que pareço dura, mas não há motivos para comemorar. O que posso dizer? Oba! Mas um ano perdido da minha vida, cada vez mais velha e infeliz. - e a tendência é piorar. Desde os 15 anos eu odeio meu aniversário, eu ja era mãe e minha prima thinspo fez uma festa de arrombar (também de 15 anos), fui obrigada a ir, vi meu pai e meu marido dançarem valsa com ela. Foi o pior dia da minha vida! Depois da valsa fui para o banheiro chorar, tentei não ficar com cara de papel amassado. Então quando cheguei em casa desabei, foi horrível. Foi doloroso. Desde então venho dedicando os meus 05 de janeiro a lágrimas de ódio. Ódio por ter perdido mais um ano, por continuar tão nojenta, por ser tão insignificante. Meu marido não vai lembrar com certeza. Meus pais tentam fazer da data menos dolorosa pra mim. Me ligam logo cedo, me chamam de princesa e de bebê. Eu tento não sorrir com tanta falsidade. Tento agradecer sem o tom de morte ao fundo da minha voz, meus olhos são um eco de mim e hoje eles mal se abrem. Eles querem fechar, ver o nada, querem silêncio e tranquilidade, querem dormir pra sempre. Mas a única coisa que podem fazer é manter minha alma presa. Ela é cinza, se saísse dos meus olhos eles seriam verde-água, mas eles são cor-de-nada. Logo a noite todos verão meus olhos, e as sobras de rancor, tristeza e dor. Minha áurea é negra e pesada. Mas ninguém vai perceber pois meus sorrisos já são ensaiados. Eu não gosto. Eles não gostam. Não há porque durar muito, não há porque continuar. Vai acabar logo.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Hoje ela passeou

La vai ela andando pela rua de pedras. Vestido azul e rasteirinhas de pérolas. Cabelo limpo cor de mel, voando sem dono, espalhando cheiro de morango se misturando a maresia. Todos olham, homens, mulheres e crianças. Eles sorriem felizes olhando pra ela. Mas espere, eles não estão rindo pra você, eles estão rindo de você. Gorda. Quando ela caminha as banhas pulam pra fora. Seus peitos enormes despertam olhares pervertidos de velhos infelizes e miseráveis. Os homens jovens ignoram, nem se dão ao trabalho de enxergar seus olhos úmidos de lágrimas contidas. As crianças cochicham umas pras outras "Olha que baleia está passando" e então lançam suas afiadas gargalhadas de aço contra o coração enfraquecido dela. As mulheres, essas adoram vê-la, todas gostam de ver uma pior, de ver uma mais feia, mais gorda, elas melhoram sua auto-estima e sorriem verdadeiramente. Todos a olham dos pés a cabeça e enxergam seus defeitos. Porque meus defeitos saltam? Eles vêem os pés largos e grandes como de um peão, vêem as panturrilhas enormes inchadas de um jogador de futebol, vêem as celulites expostas naquelas coxas deformadas, vêem aquele quadril deformado carregando três pochetes de gordura no lado esquerdo, no lado direito e na frente, vêem aquela barriga enorme - será que ela está grávida? - não, não grávidas são bonitas, eles vêem peitos tão grandes e tão nojentos nada discretos - essa garota tinha que ser presa por isso - ela concorda, logo vêem também os ombros largos e os braços obesos e têm a impressão de que aquilo pode ser um homem na realidade por serem tão largos aqueles ombros enormes, olham pras mãos gordas com dedos curtos sem unhas nenhuma - quem vergonha, ela come até as unhas, vêem o rosto rosado com sardas discretas, notam que horríveis são as marcas de espinhas que mostram que aquela monstra ainda não têm 20 anos, olham a boca maldita que é enorme e inchada a qual não combina nada com os olhos cor-de-nada pequenos demais, eles nem querem pensar no nariz quebrado, deformado pelo crescimento acelerado gorda nojenta, por fim eles alcançam seu cabelo no meio das costas largas, vêem as pontas duplas, o ressecamento, e descaso, vêem o mel alaranjado que amarela na luz das 16:30. Eles olham tudo, cada detalhe, mas não enxergam, não são capazes de enxergar a solidão e o sofrimento daquela gorda loura. E mesmo que eles enxergacem a dor daquela da troll da cidade, isso seria só mais um motivo pras piadinhas, outras gargalhadas afiadas. Ela volta pra casa contendo seu choro, deixa pra chorar a noite loura. Pega teu celular e posta. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA. EU SOU TORTA.