quinta-feira, 10 de setembro de 2015

O QUE É SER GORDA?





Não, amiga, ser gorda não é vestir 38/38 e ficar triste porque apareceu uma CELULITE na bunda. Ser gorda não é sentir- se inchada porque comeu demais num churrasco. Ser gorda não é ter barriga lisa e estria na coxa. Ser gorda não é não caber numa roupa porque engordou dois quilos. Fazer gordice não é postar foto de comida no Instagran. Coisa de gordo não é comida. Faltar dois dias na academia não te deixa gorda. Gorda não é ofensa. Magra não é elogio.

Mas, então, o que é ser gorda?

Uma pessoa gorda tem vivência. Ela sabe como é, o que é e (aprende na marra mesmo) a como lidar.
Ser gorda é não passar na catraca do ônibus porque ela não foi feita pensando na diversidade de corpos. Seu lugar não é ali. 

Ser gorda é não caber na cadeira do cinema porque
ela serve apenas para magros de setenta quilos.
Ser gorda é entrar num loja, sequer perguntar
nada, e ouvir a vendedora que não tem seu
numero.

Ser gorda é ser sempre a última opção. É desenvolver complexo de inferioridade. É ter
medo de fazer amigos. Ser gorda é ser rejeitada única e exclusivamente por esse motivo. Ser gorda é dar pro cara escondido e o ouvir negar
que te fodeu. É crescer ouvindo que qualquer um
que te quiser, é lucro, e por isso cair nas mãos
de um mané qualquer.

Ser gorda é ter medo de usar uma saia, um
vestido, um cropped, um top ou biquíni porque
marca as gorduras e barriga de gorda é feia. O
baque ao ouvir os comentários vai ser grande
demais. Ser gorda é aprender a fazer piada de si
mesmo toda vez que você chega num lugar.
Você finge que está achando engraçado, dá um sorriso falso e aguenta calada enquanto dizem que aconteceu um terremoto quando a baleia chegou.

Ser gorda é ser “A gorda” dançando, “A gorda” comendo, “A gorda” beijando…
Ser gorda é se odiar ao lembrar que o padrão te exclui. É não conseguir encarar seu reflexo no
espelho. É passar dias sem comer “pra ver se emagrece”. É tentar se matar por ver que não conseguiu.

Ser gorda é não receber um pingo de empatia
das pessoas ao relatar seus problemas. É ouvi-
las dizendo que “emagrece que passa”, “é gordo
quem quer”. É não ter força pra encarar isso e
acabar desabando.

Ser gorda é ser legal, solidaria, criativa e companheira, mas, ser totalmente desvalorizada
por ser gorda. É não conseguir emprego e perder
pra mina magra desqualificada por ser gorda.

Ser gorda é ter medo do sexo. É sempre ter que avisar aos caras que você conhece na internet
que você é gorda pra não correr o risco de decepciona- los. É só fazer à meia luz. É nunca
ficar por cima.

Ser gorda é não estar na TV. Não ser protagonista de novela. É não estrelar comercial, é não sentir- se representada.
Ser gorda é uma luta diária por aceitação, amor
próprio e empoderamento. É superar- se.
Vencer- se. Encarar a vida mesmo que pareça difícil, impossível.

Ser gorda é aguentar a amiga magra reclamando
que está gorda. Ouvir a amiga magra furiosa porque foi trocada pela gorda. Ser gorda é só servir de correio pra amiga na balada e ter que dizer imediatamente que está chegando no cara pra ela, não pra você, antes que ele fuja.
Ser gorda é fugir dessa palavra. É aceitar eufemismos. É ser a gordinha, fofinha, cheinha
porque isso é menos pior que gorda.

Ser gorda é diferente de sentir- gorda.

 Ser gorda é ser amor e revolução.
Ser gorda é mandar os padrões pro espaço e se
assumir assim batendo de frente com a
sociedade machista que aprisiona e condiciona à
elas ideias de beleza impossíveis.
Ser gorda é sempre ouvir que tem que emagrecer.
 É deixar a pessoa chocada por dizer que não quer mudar. “Não, obrigada, estou bem assim”. 
É ser chamada de coitada, que nunca vai arrumar marido e causar rebuliço ao aparecer
com um.

Ser gorda é ser visto como doente, assexual, feia. 
É ouvir as pessoas dizendo que você está fazendo apologia à obesidade ao se amar e
incentivar outras a se amarem como são como
se isso fosse um crime.

Ser gorda é o que eu sou e que nunca me envergonharia disso porque tudo que eu sou é
lindo. 


Texto retirado de:
https://mulheresuascronicas.wordpress.com/2015/03/02/o-que-e-ser-gorda/

Estava lendo este texto e achei interessante para postar no blog. Discordo com alguns trechos do texto, mas me reconheci em muitos parágrafos.
Vocês não podem imaginar como estou obesa, enorme, gigante. Não, meu peso não aumentou na balança, mas números mentem. O espelho reconhece bem as camadas de volumosas de banhas que me envolvem. Estou ridícula, unhas quebrando, cabelo ressecado...
Nem minhas calcinhas não me servem mais, o que eu acho um exagero. Não é preciso trocar até as calcinhas depois de "emagrecer " um pouco.

Me sinto um lixo - que não pode ser reciclado ou reutilizado nem como adubo - porque para nada eu sirvo.
Tive uma compulsão máster hoje a noite e chorei bastante, estou sensível também por conta da menstruação, o fluxo está cada vez mais forte e  dores insuportáveis... Mas já falei de dores aqui.

No grupo do whats lancei um desafio, o qual temos 10 dias para perder 5kg. Termina no dia 16/09, estou muito insegura, em pânico, não vou conseguir.
Ainda mais comendo como louca como fiz a pouco.

Acho melhor cavar uma vala... e me enterrar



Besos magrelas ♥