sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Acordo,

Dor de garganta desperta-me. Braços negros e robustos me envolvem, assim sei que não é um sonho.

Meu cérebro aos poucos começa a funcionar, liga as engrenagens. Envia comandos, delega funções.
Primeiro o básico deve ficar bem definido: hoje temos que emagrecer. O resto é consequência.

Levante-se, vista-se e dirija-se ao lavatório. Faça sua higiene bucal, ela é importante pois disfarça o gosto ruim do franol.

Dê uma volta pela casa, bom dia aos seres vivos que encontrar pelo caminho. Discretamente avalie-se no portal das trevas/sonhos espelho. Desanime. Xingue-se.
Arraste-se até sua caixa secreta e destaque suas 30g de efedrina.
Deve ser o suficiente para o desjejum.

Com a água cristalina da nascente de uma lagoa mágica do Himalaia, eu tomo energia pura.
A fórmula mágica que me mantém de pé.
Está tão intenso em mim que faz parte da minha carne, é o cálcio de meus ossos, oxigênio para o cérebro.

Drágeas brancas - como a neve diga-se de passagem - que tem gravadas em si a letra F.

F de Força...
F de Foco...
F de Fé...

F de Franol.

F de Feia...
F de Falsa...
F de Fina...

F de Fraca.

Mas o F não seria de força? De fraca também.

Até remédios são bipolares.

Mas este F é de o quão forte ele pode te deixar. Não sentirá fome alguma, mas será tão fraca que não poderá levantar-te rapidamente.

Tomada minha droga, espero senti-la sendo absorvida em meu podre sistema digestivo.
As primeiras batidas vêm derrepente, um surto de adrenalina e então

água pura derramando em meu sangue

queimando toda a lama

o deixando rosa como deve ser.


Logo estou dominada pelas sensações;

 taquicardia;
 tremedeira;
 boca seca;
 tontura;
 náusea;
 cãibras;
 suor frio;
 a intensa, mas justificável, dor de cabeça;
 falta de concentração.

Mas o melhor de tudo, a inibição do apetite. Repulsa a comida e as suas más consequências.

Adaptei-me para realizar minhas tarefas sob o efeito colateral do frafra (como chamo carinhosamente). Estou tão viciada que quando não o tenho entro em desespero.
Penso: estou minando meu coração, mas o que posso fazer se somente a efedrina me mantém tão próxima de estar limpa.

Tão perigosa quando ana ou mia, a substância é mais um escape. Outra maneira de chegar ao objetivo. Arrancar toda essa camada nojenta e desnecessária envolta a mim.

Sinto-a queimando...
derretendo...


No fim do dia estou tão desgastada que só penso em deitar-me.
Perfumar meu quarto, sentir os fios de algodão.

Mas ele não me deixa, meu cérebro não para. Ele não quer parar. 
Olhos abertos, arregalados.

Açúcar queimado...

 - Não ana, eu não quero conversar.

Meu apelo é ignorado.
Acaricia-me os cabelos e obriga a queimar também os neurônios que me restam. Vadia. Tenho que fazer planos, tenho que anotá-los.
Tenho que pôr em prática.

Agora? Agora.

Somente gordas deixam para amanhã.

Levanto-me, faço rotações.

100
200
300
400

Até não conseguir me mover de tanta dor.

Caio nos braços dele, e afundo em seu peito. Pareço desmaiar, estar morta. 
Mas no fundo, estou do outro lado do portal

deitada na grama

respirando maresia

sonhando mentiras

fadas me beliscando.



domingo, 25 de outubro de 2015

Tag “Quais"



Olá magrelas e magrelos, fui convidada a responder uma Tag de perguntas pessoais. Quem me convidou foi a Senhora M. do blog Um Velho Batom ( http://umvelhobatom.blogspot.com.br/ )

REGRAS:

Colocar a imagem da  TAG e as suas regras
-Nomear de 3/5 blogs para responder a TAG
- Avisar os mesmos
- Colocar o Link do blog que te nomeou;
- E no fim acrescentar uma pergunta tua ás já existentes;


•1 - Quais são as sete coisas que andam sempre contigo?

1- Agenda;

2- Caneta;

3- Batom;

4- Perfume;

5- Espelho;

6- Carteira;

7- Celular.                     


•2 - Quais as tuas frases favoritas?

“Crean en lo que quieran, pero crean, crean de verdad. Se tu lo creés es posible." (Acreditem no que quiserem, mas acreditem, acreditem de verdade. Se você acredita é possível.) - Anahi

O vazio é bom. O vazio é forte. - livro Wintergirls


•3 - Qual o blog que mais visitas recentemente?

Infelizmente nenhum.


•4 - Coloca teus destinos nacionais favoritos?

São Paulo, Bahia e Angra dos Reis.


•5 - Qual é a música que ouves quando está sozinha?
  
Absurda - Anahi


•6- Coloca três imagens que te inspirem.



↑ Essa imagem me inspira em muitos aspectos. Me inspira em relação ao aspecto físico, em relação a realização de alguns sonhos e de quebra me traz muitas boas recordações de infância.



↑ Essa me inspira, pois nela sinto realizações de sonhos. Me traz a sensação de cheiro de rosas e delicadeza.



↑ Essa me passa o sentimento de perfeição mútua.



•7 - Quais as tuas seis atividades favoritas?

1- Comprar
2- Dançar
3- Ler
4- Planejar
5- Pesquisar
6- Treinar (malhar)

Não ando fazendo nada disso como gostaria (além de planejar e pesquisar).


•8 - Indica três coisas relacionadas com a moda que são a tua imagem de marca.

1- Saia de cintura alta.
2- Scarpin salto agulha.
3- Peças em renda, tons pastéis e tons neutros.


9 - Quais os seus três apps de celular favoritos?

1-WhatsApp
2- Instagram
3- Snap


•10 - Quais os teus três restaurantes favoritos?

Não costumo ir a restaurantes, lá eles te obrigam a comer.


•11 - Qual foi a maior loucura que cometeste?

Tomar a cartela de franol em 5 dias e treinar 2hrs por dia, o que resultou em 5kg a menos em 5 dias e 10kg mais depois uns meses.


•12 - Qual foi o momento mais constrangedor da tua vida?

Entrar numa loja de roupas e não encontrar nada do meu tamanho.


•13 - Qual o livro que mais gostastes de ler?

Wintergirls (Garotas de Vidro) de Laurie Halse Anderson.


•14 - Qual foi a última vez, que fizeste algo pela primeira vez?

A muito tempo...


•15 - Já sentistes amor por algum rapaz?

Sim, meu marido.


•16 - Quais são os teus três maiores sonhos?

1- Ser bonita.
2- Ter sucesso profissional.
3- Trazer felicidade as pessoas (ou animais).


•17 - Quais são os teus três maiores medos?

1- Tenho medo de ver minha filha e meu marido morrer.
2- Tenho medo de nunca conseguir “ajeitar" minhas deformações.
3- Medo de decepcionar minha família com meu fracasso.


•18 - Que livro tens na tua mesinha de cabeceira?

Não tenho mesinha de cabeceira, mas em meu celular tenho Wintergirls, A Arte da Guerra, além de livros de auto-ajuda em relação a Administração e Liderança, apostilas e dicionários (língua portuguesa e jurídico).


•19 - Não queres morrer sem...

Comprar e decorar minha casa;
Me casar;
Curtir a Formatura da minha filha (gostaria de vê-la casar e ter filhos mas isso só ela pode decidir);
Me olhar no espelho e gostar do que vejo.


•20 - Se pudesses 'fugir' para fora do país, para onde iria?

Paris - França
Londres - Inglaterra
Milhão - Itália

E assistiria a todos os Fashion Weeks da vida rs.


•21 - Se tivesse que contar uma história aos teus netos qual seria?

A Gata Borralheira (Cinderella) me encanta.


•22 - Pergunta extra da Lua. Qual é a tua melhor qualidade?

Extremamente perfeccionista.


•23-Pergunta extra da Senhora M. Qual seu filme favorito?

Mean Girls (Meninas Malvadas) pois vejo naquele filme a vida como realmente é. Pessoas falsas com segundas intenções, te secando e desejando no mínimo que seu cabelo caia. Principalmente na família e colégio. Mas claro, me inspira porque sou fútil.


→ Minha pergunta extra: O que te mantém vivo (a)?


Segundo as regras da Tag tenho que marcar de três a cinco pessoas para responder, me perdoem por quebrar a regra mas eu realmente quero que todos que comentaram aqui façam. Então comentem que estarão indicados, eu vou adorar ler suas respostas. E quem já fez, já fez rs ♥



Besos de Fuego ♥


terça-feira, 6 de outubro de 2015





Ela é fria... distante... intocável...
Cheira a jasmim... gengibre... água do mar...
Tem olhos que queimam minha pele como gelo...
Tem garras que arranham... destroçam minha alma...
Palavras amargas que rasgam a, já retalhada, alma que me resta.

Ela é desumana, não se importa comigo. Me persegue, me diz o que comer, quando comer, como comer...

Ela faz suar constantemente porque toda hora é hora de perder calorias, porque minha última/primeira/única refeição podia ter sido menor/evitada.

Ela sobe na balança junto a mim para que eu pareça mais pesada. E enfia foices forjadas em espinhos e cacos de vidro em meu coração todas as noites.

Ela sou eu.
A pior parte de mim, a criatura mais cruel, horripilante e hostil.
Ela me ignora, cala minha voz, abafa meus gritos.

Você sabe como um ser humano pode ser cruel consigo mesmo?

Ana sabe que estou lá perecendo, morfando na luz branca de meus pensamentos mais íntimos. 

Mas ela vem me puxar... assombrar... torturar.

Me acompanha. Sopra seu hálito frio para deixar bem claro que está ali junto a mim, e sua presença me deixa aflita. A todo instante estou preparada para contestar, dispensar, atacar.
Desculpas perfeitas (ou tão bobas que nenhum adulto em sã consciência acreditaria). Mas eles acreditam.

  - Eu já comi.
  - Depois do banho eu como.
  - Ontem comi tanto que estou com dor de estômago.

Ela gargalha gélida incontrolável.

É um prazer incessante.

Eu gargalho gélida incontrolável.

Será que somos melhores amigas? Somos a mesma pessoa. Ergo a cabeça e lá está ela. Pálida, me encarando. O espelho é sua porta de entrada para este mundo, onde ela se materializa. Onde ela me mostra cada centímetro que não deveria existir.

Sussurra em meu ouvido sinos de fadas esvoaçantes, e me faz falsas promessas. Ela me cobre com seu manto tecido a mão: fios de neve, prata e sonhos. Ela me põe para dormir cantarolando histórias de terror e usa minhas lágrimas para matar sua sede.

Enche meu estômago de pedras a fim de manter-me longe do que pode destruí-la. Me faz tocar em todo meu corpo, sentir alguns ossos se evidenciando.

Deliciosa sensação...

Diz-me que no fim tudo valerá, me tranquiliza e me tem para si.

Porque sou eu meu próprio demônio. 
Porque eu me perdi, e as migalhas que me levariam de volta foram comidas por corvos.
Porque se eu decidir voltar vou ser devorada por mortos.
Porque caso eu tente sair ela chama reforços.
Porque mia também me prenderia.
Porque fadas existem e eu serei uma delas.

Porque simplesmente eu acredito.

E a fé... Ah a fé move montanhas.