domingo, 7 de agosto de 2016

♥ Sua percepção é seu reflexo ♥


Estive pensando em realmente comprar um grande espelho, visto que dificilmente consigo me visualizar por completo. Quando fico frente a uma superfície a qual produz reflexos, fico com muita vergonha de me observar, principalmente por ser em lugares públicos - no caso o colégio, o qual tem um imponente e atrativo espelho situado no meio do pátio, mais precisamente entre a rampa e a cantina - então fico extremamente constrangida por ser tão atraída por meu reflexo como se eu fosse, para eu mesma, um mistério a desvendar.
Mas como tudo na minha vida nada é tão simples. Temo pelo pior: ao adquirir um grandioso espelho eu me sentirei tão, mas tão atraída que poderia atravessá-lo, e de repente, me encontrar em um mundo paralelo onde Lebres, Coelhos, Gatos e Chapeleiros Malucos tomam chá e um Jaguardarte me arranharia e então eu putrificaria.
Seria muito fantasioso de minha parte imaginar algo tão fictício?
Caras e caros leitores, queiram perdoar-me, mas sou eu, a Any Portilla, lembram? Sim, sim, “I do Believe", “Nunca cresçam", “A Princesa de um Conto que Não Existe".
Me vejo constantemente obrigada a dosar a distância entre mim e os espelhos. Como dito anteriormente eles são piores que qualquer balança ou fita métrica. Ele não é uma ciência exata, ele não te mostra os resultados em números, ele não diz “ok você emagreceu tanto", ele simplesmente te mostra a realidade de vários ângulos, de todas as formas mais invasivas. Você não pode mentir, não pode se esconder. Você se percebe, se sente, você vê, sorrateiramente enxerga a verdade.
É tênue a linha entre o equilíbrio e a loucura em frente à um espelho.
É tênue a fonteira entre sua realidade inventada e dimensão paralela à qual você tantas vezes esteve tão prestes a romper.

É isso que me mantém sem um em meu quarto. Espelhos são perigosos... traiçoeiros.
É uma armadilha, em um instante você estava estava lá, quieta, vivendo sua vidinha. No outro você se vê congelada frente ao espelho se observando tão profundamente que é capaz de distinguir as nuances da sua alma. O ódio da imagem que reflete naquela superfície maligna é tão forte que poderia quebrá-lo com um golpe e enfiar um grande caco em sua garganta - é muito mais fácil morrer cortando a jugular do que os pulsos, convenhamos.
Lavando em consideração minha falta de estabilidade emocional, minha baixa auto estima e minha frequentes alucinações, além da insatisfação constante é claro, declaro não seguro ter um espelho desses tão por perto.
Dizem que admirar-se num espelho trincado seria um erro terrível: significa quebrar a própria alma.

De qualquer forma a vontade persiste, gostaria de passar horas me avaliando, vendo como as coisas realmente são. As vezes penso que vão enxergo como realmente sou, não consigo tirar fotos de bons ângulos, não tenho dimensão de minhas extremidades.

Impasse...



Já pararam para pensar no poder que Lua exerce sobre o Mar, a Lua rege as marés. Corpo celeste este que reflete o brilho do sol, seu reflexo é direcionado diretamente a água, que é o primeiro e mais natural espelho da humanidade. Narciso, ao olhar seu amaldiçoado reflexo se encontrou tão apaixonado por si mesmo que morreu por nunca poder se tocar.
Reflita, assim como a Lua controla as marés, quem, do outro lado de seu reflexo rege sua vida? Será que nós, pessoas transtornadas, naturalmente mais sensíveis a estímulos externos, não estamos, assim como Narciso, condenados a morrer tentando alcançar algo que não pode ser de fato nosso?

O espelho da anoréxica é mentiroso."
 Mas qual não é?

George Berkeley, filósofo idealista irlandês - podemos falar mais sobre ele outro dia - afirma “Ser é ser percebido." ou seja, nada existe fora da percepção. Todas as criaturas só existem porque são percebidas, e se não são automaticamente não existem. Vamos direcionar o conceito ao nosso cotidiano, o que você enxerga no espelho? Uma garota gorda e lerda, que não se encaixa, que não é desejada. Outra pessoa pode enxergar em seu reflexo uma mulher linda, inteligente e sensível.
Esta pessoa está mentindo? Não. Vocês são pessoas diferentes, são percepções distintas. Basicamente, o que estou tentando dizer é que se nós achamos que somos gordas, ainda que tenhamos peso normal, se imaginamos como somos desprezíveis, se temos certeza que não conseguiremos ser quem desejamos ser, vocês acham que algum dia veremos em nosso reflexo uma mulher magra, segura e realizada? Jamais!
Entra aqui a resposta da pergunta que fiz a uns parágrafos acima: quem do outro lado de seu reflexo rege sua vida? Sua alma doentia. O espelho é apenas a ferramenta, cada um carrega uma outra dimensão consigo, e estar em frente ao espelho é estar a um passo de romper seus mundos.

Segundo os idealistas berkelianos, o mundo humano é como a um sonho, se pararmos de sonhar, de perceber onírico, toda aquela “realidade” que nos deslumbrava, aflingia,
estimulava ou aterrorizava prontamente desaparece.

Afinal o que o espelho reflete? Depende de quem o observa e de como esta criatura enxerga o mundo. Se ninguém estiver olhando para a superfície refletiva, dali não sairá reflexo algum. Sem percepção não existirás, lembram. Gosto de aplicar este “Ser é ser percebido" a atitude cotidiana das pessoas. Um marombeiro não se esforçaria em ficar grande se ninguém estivesse ali para admirá-lo, para percebê-lo, por exemplo. As pessoas são visuais, se expõem para serem reconhecidas.

Assim podemos afirmar que o espelho não reflete as coisas, em si, ele reflete a nossa percepção das coisas. Portanto, nada semelhante ao o que vemos no espelho pode de fato estar nele sem que alguém o perceba.

No fim disto tudo, tanto anseio por meu reflexo como o temo.


Au revoir!