quarta-feira, 28 de setembro de 2016

I'm back



Eu não sei como começar. Minha “escrita" se foi desde que comecei a treinar as dissertações argumentativas.

Talvez a melhor forma seja pedindo-lhes perdão, novamente. Sumi, não as visitei. Estive completamente dispersa, desconcentrada. Perdi o foco e a vergonha na cara. Perdi a linha, a disposição.

Me vi diante de um abismo e pulei.

Até hoje estou a cair.

Volta e meia me questiono por que não peço ajuda a vocês, apoio que eu sei que me darão com todo amor se precisar. Mas eu não consigo. Me fogem as palavras, as letras se embaralham e transfomam-se em um monte de nada.

E engordei, cada palavra não escrita uma grama acumulada. Assim cheguei a quase 66kg. Um horror. Um crime. Não tenham pena de mim. Eu mereço.

Meu Deus eu me pergunto como pude chegar a isso. Sinto tanta falta de meus ossos. As pessoas estão comentando, e só por isso eu despertei. Afastei a névoa escura que encobrira meus olhos durante tanto tempo.

É tão difícil recomeçar. É impossível me agradar.

Tenho grandes sonhos. Utopias. Planos estipulados para alcançar metas e objetivos.

Mas de que adiantaria, ser acadêmica de direito logo após o ensino médio, com todo o mérito de ter sido aprovada pelo Enem, se eu for uma orca roliça gigante destruidora de cadeiras de plástico?
De que adianta formar-me no dito curso e ter uma linda festa se não couber no vestido desejado?
Não há dinheiro, nem da melhor das melhores profissões que me fará feliz se não for magra.
E vice versa pois, magra sem nenhum tustão não será pleno.

Sou ambiciosa não?

As coisas fugiram do controle.

Mas eu decidi mudar, e desta vez, estou sozinha com a ana.

Eu já lhes disse que eu sou uma farsa? Todo este tempo me auto enganando e enganado vocês, dizendo ser ana, me achando forte por não ter fome. Era mentira, pois não era eu e sim os remédios, ou melhor, “o" remédio.
Franol o nome dele, minha anorexia só existia por conta dele. Claro que nem sempre foi assim. Meus TA's vieram muito antes, mas depois que eu passei a usá-lo, tornei-me dependente. Então já era de se esperar que eu ia me foder quando não pudesse mais tomá-lo.
E o que aconteceu?
Eu me fodi.
Claro, ferrei tudo.

Já são três meses “limpa", e nestes três meses eu quase desisti. A fome avassaladora me devastou. Meu corpo quis consumir tudo que eu o neguei ao longo deste último ano. Junto a isso meu cabelo - preciso conversar seriamente com vocês sobre isso - me deixava - e ainda deixa - muito depressiva, juntamente com trocentas provas, trabalhos e seminários, brigas de família e pouco dinheiro para muita conta, já viram ... descontrole total. 

E boom! Explodiu!

Any de 58kg para 65,7kg.

É, só agora consegui me restabelecer. E depois de tanta luta a fome já não incomoda tanto, aos poucos aprendo a ama-la novamente. E desta vez sem nada de drogas.

Estes últimos meses foram uma provação! Cheguei tão perto de voltar a vomitar.
Lembro de um dia que deixei cair o shampoo e quando fui apanhá-lo me vi tão próxima ao vaso sanitário, que pude sentir o calor do vomito em minha garganta. É claro, eu devo ser louca, entretando estou apenas sendo sincera. A maioria das outras vezes que me vi tentada a miar foi por conta de excesso de comilança.

No momento sinto-me demasiadamente estável. gostaria de contar-lhes meus planos futuros e também sobre minhas leituras, mas isto fica para outro post.

Peço que me perdoem novamente, a vida é uma verdeira loucura, então não prometerei um retorno em breve, mas que o universo conspire a favor.

Não desistam de mim 🦄