domingo, 5 de março de 2017

Estou pesando setenta e três quilos e oitocentos gramas

 

Deito-me, estou tão pesada que forma-se uma grande depressão onde meu corpo repousa. Está calor, o excesso de banha desregula a temperatura. As roupas são desconfortáveis, apertadas. Viro-me, tentando, de alguma forma, ter conforto.

Impossível.

Você já teve um objeto estranho como extensão do seu corpo? Unhas postiças, um membro engessado ou mesmo uma mochila pesada que você não podia largar? Assim me sinto a respeito do excesso de peso que ganhei. Pesa, incomoda, atrapalha. É como uma esfera de chumbo anexa ao calcanhar de um prisioneiro. 

E é constante.

Sentido em cada movimento. Ao sentar, ao ir ao banheiro, ao vestir as roupas. Meu corpo se um tornou estranho, parece que estou o (re)conhecendo agora. Não haverá tempo para acostumar!

As lágrimas pesam, é duro jogar seu sacrifício fora por causa da porcaria do descontrole emocional. Ouço os gritos da ana a quilômetros, estou jogando tudo no lixo, todo esforço que fizemos. Estou voltando a estaca zero, nesse estágio a depressão vem tão avassaladora que ter bulimia parece ser o melhor dos estados mentais.

Agora é muito mais simples de compreender, ser ana não é ruim. É o modo como meu subconsciente desenvolveu para me manter sã e viva. Caso contrário a depressão já teria me levado a tempos, pois somente a vontade de ser magra consegue me erguer do buraco de compulsões que me enfio quando estou descontrolada.

Estou tão confusa! Fiz planos, fracassei. Não irei desistir. Não sei se vale a pena. Estou com medo de não conseguir. E se eu conseguir? Quais serão as próximas consequências?

Eu não vou conseguir parar! Eu vou querer cada vez mais ossos! Vou sentir o prazer doentio de sentir fome de verdade. Eu anseio com toda minha alma por este prazer.

Eram tantas sensações! Eu as amava. A tontura me fazia rir como uma retardada, por alguns segundos a dor de estômago me desestabilizava então eu lembrava de seu verdadeiro motivo e tudo estava bem novamente, a fome incessante e avassaladora, seguida de fortes contrações no estômago, um reconhecimento de que era o caminho certo. Esta fome era diferente da que sinto hoje, não havia desejo por comida, somente desdém. A diferença da fome de antes para a de hoje é que anteriormente aquela sensação era um deleite, a confirmação da minha força de vontade, hoje se parece mais com uma praga insistente, uma maldição que te persegue até você não aguentar mais, e então ceder. 

Eu não queria isso, não queria ser extremos. Mas ser meio termo é difícil demais para mim.

Sinto uma vontade exorbitante de me castigar. Eu preciso pagar, preciso pagar por estar matando o que me resta de oportunidade, preciso pagar por me impedir de ser um pouco mais feliz, pagar por estar me envenenando com todas aquelas calorias.

É ridículo! Eu sei “o que” e “como” fazer, mas simplesmente não os faço.

Não consigo me mover, não consigo reagir. Tantas e tantas horas desperdiçadas. Quantos quilos eu já não poderia ter perdido se tivesse resistido, se não tivesse abrido mão de mim mesma para alimentar meu-eu-demônio, estaria na meta.

É tão desesperador. Algo dentro de mim grita para que eu sacrifique tudo para ser magra. Algo questiona se vale a pena viver uma vida em que você nunca será o que deseja ser. Não preciso pensar nem por um segundo. Já tenho a resposta. Entendam o raciocínio dessa parte de mim - não julguem de imediato, mas é mais ou menos assim: “se você continuar gorda nunca será feliz, acabará morrendo hora ou outra, de qualquer forma, porque vai ter alguma doença relacionada a toda essa comilança, ou vai ficar tão infeliz e deprimida que vai dar cabo da sua vida, das duas uma. Dito isso, acredito que sacrificar tudo por ser magra não seja um absurdo. Idaí que você pode morrer? Não seria este teu destino desde o início? Pelo menos a dor vai acabar, você terá paz, e antes de tudo terá experimentado o doce sabor da magreza.”

É isso, eu não aguento mais reproduzir este tipo de pensamento!!! É a minha voz, sou eu atentando contra minha própria vida. Eu sabia que era suicídio desde o início, mas não esperava que se arrastasse por tanto tempo. Pensava que ficaria tudo bem, pensava que estava ficando curada, mas tudo está voltando. As calorias, as calorias importam mais que tudo! Eu não penso em mais nada que não seja comida.

Já não aguento mais essa porcaria toda! Estou tão suja, cheia de coceiras, toda empolada. É como se tivesse levado várias picadas de formiga. Mas não há formigas em minha cama. Minha boca tem cheiro de esgoto. Não paro de passar meus pés e mãos pela colcha. O que estou procurando? 
Esfrego meu corpo como se precisasse arrancar de mim essa pele morta de mim.

Eu vou preciso parar de comer. Já não há motivos para adiar o que a mim foi destinado.

Eu tenho o perfil! Tenho tudo!

•Bulling na infância
•Frustrações sexuais
•Pais conservadores
•Histórico depressivo na família
•Sou “nerd”
•Sou gorda
•Suicídio é um pensamento constante

O pacote completo! Combo garota problemática. Parabéns para mim, fui destinada ao caos.

Não tenham pena de mim. Não me digam para procurar médicos ou a cura, ou mesmo igrejas, não é necessário. Já entreguei minha alma a Deus, ainda que as vezes eu duvide dele. Acredito que no fim, serei perdoada.

Estou com a ana e não largo por nada. Ainda terei um peso do qual me orgulhar!

Darei sentido a minha existência.


13 comentários:

  1. " Eu não queria isso, não queria ser extremos. Mas ser meio termo é difícil demais para mim. "

    Essa frase acima me definiu muito!

    Eu pensei em preparar aquele típico discurso hipócrita e moralista, mas vamos deixar as belas palavras para um outro momento. Agora eu só posso dizer que me sinto extremamente como você.

    Cuide-se, e saiba que você não está sozinha!

    ResponderExcluir
  2. Oi flor, nossa quanta tristeza, sinto uma garota querendo gritar muito alto dentro de ti.
    Quer conversar? espairecer? estou a disposição, manda seu whatsapp por email
    detalhes.secretos@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Este texto me leu, ou eu li este texto ... :0
    Amore eu sei que a Any, sabe a Any que eu falava um tempo atrás está ai dentro a garota forte. Cheia de ânimo, e tudo mais! Seja forte amora, eu sei que você consegue!

    Beijos da Lua :*

    ResponderExcluir
  4. Nossa, esse texto foi bem forte.
    Sei como é complicado quando a gente não tem nada a perder.
    Você parece estar bem deprimida, espero que melhore e torço para que consiga alcançar sua meta e ser magra como sempre quis.

    Kisses

    ResponderExcluir
  5. menina.... acredite... te entendo....
    ah!!! to voltando com o blog.... mas sabe o que eu penso....
    Suicídio é uma Solução permanente pra um problema temporário.....
    então cuidado.....
    Vamos juntas ok.... conta comigo... bjos

    ResponderExcluir
  6. Isso está te afetando... Muito...
    Sair disso só depende de você, então lhe desejo sabedoria, para usar a sua força por que eu sei que você tem.
    Fique com a gente... Eu quero poder tomar suco em copos de requeijão junto com você e a lua, como dissemos uma vez... Se lembre disso ;)

    <3

    ResponderExcluir
  7. Sabe o que me inspira?
    O link do seu blog!

    "Dor passa, culpa não!"

    Isso me dá um ânimo tão absurdo que você não faz idéia.

    Obrigada por me inspirar minha amiga de longas datas!

    ResponderExcluir
  8. Any... Não vou dizer para você parar, só você pode escolher isso.

    Mas... Não se culpe tanto. Isso não é culpa sua.

    Seja feliz, não importa de que forma. Se sua felicidade é Anorexia... Vá em frente.

    Eu não a conheço direito, mas vou sentir sua falta quando, você sabe, tudo acabar.

    Seja feliz.

    Uma última vez... Estou torcendo por você!

    ResponderExcluir
  9. Olá Any!

    Que texto incrivelmente difícil!
    Você foi muito honesta consigo mesma; eu aprecio isso nas pessoas.
    A grande questão aqui não é a realidade que se impôs, mas a forma valente como você decidiu enfrenta-la.

    Tem uma onda crescente chamada de politicamente correta em que as pessoas são induzidas a se conformarem e se orgulharem de seus corpos obesos, já percebeu?
    A obesidade é um problema sério de saúde, é uma doença que compromete a vida das pessoas, mas tem gente dizendo por aí que "o importante é ser feliz".
    É tão cômodo se entregar a comida, se aceitar como gorda e comprar roupas GG ou EXG, que algumas pessoas mentem para si mesmas que podem ser felizes deste jeito.

    Fazer sexo acima do peso é broxante e este fator pode deteriorar relacionamentos duradouros.
    Subir escadas, executar tarefas no lar e cuidar dos filhos deixa de ser uma felicidade e passa a ser um sacrifício.
    As dores nos joelhos e na coluna vertebral gritam que o sobrepeso os destruirá.
    Entrar em uma loja e não achar nada que sirva é uma humilhação constante.
    Perder a identidade talvez seja a mais cruel de todas as coisas na vida de um gordo, porque gordo não tem nome é: "fofinha", "gordinha", "fortinha".
    Gordo sempre vira ponto de referência ou chacota: "ali atrás da rinoceronte", "do lado da baleia", "depois da godzilla"...

    Agora me diga, como alguém pode ser feliz assim???
    Algumas pessoas são dramáticas e usam argumentos fajutos para justificarem o excesso de gordura do próprio corpo, mas na verdade a gordura se estoca quando a pessoa come mais do que precisa e leva uma vida sedentária, não há outra justificativa!
    Se manter magro ou magra é um exercício de equilíbrio constante entre gastar mais calorias do que se consome e estilo de vida saudável, a matemática é exata e não perdoa erros estúpidos de ninguém.

    Você já conseguiu provar que é capaz de emagrecer, lembra?
    Estamos juntas nesta luta e não vamos permitir que a gordura arruíne o resto de nossas vidas.
    Que comecem os jogos!


    Beijinhos ^^

    ResponderExcluir
  10. Me sinto exatamente assim, só que não tenho forças para Ana.

    ResponderExcluir
  11. Any, lembra de mim? A gente interagia há 3 anos, quando meu blog ainda estava ativo. E olha só, recuperei a conta, e mesmo com tanto tempo, me deparo com os mesmos sentimentos, as mesmas angústias, e vejo que para você também não é diferente! O bom, é que estamo sobrevivendo, e devemos buscar esperanças nisso... É bom te "encontrar" novamente! Bjoo

    ResponderExcluir
  12. Oi, anja! Acabei de te enviar um e-mail te falando o meu WhatsApp e sobre os remédios que eu uso para emagrecer. Espero que tenha sido útil!

    💋💋💋

    ResponderExcluir