terça-feira, 11 de julho de 2017

Três palavrinhas


A ridicularidade do meu ser insiste que tenho que expor minha decadência frente ao mundo de pessoas falsas e cheias de si.
Fui ao cinema e postei uma foto onde abraço meu esposo por trás ao lado do poster de um lançamento. Pobre eu, achando que poderia ser normal... Vieram me perguntar por que estou tão gorda, o que eu fiz para engordar tanto. RIDÍCULA que sou.
Mas esse não é o motivo de eu vir aqui. Eu sinto saudades, muita saudade. Mas não posso me dar ao luxo. Me privar de escrever é como perder parte de mim, e é exatamente a sensação de insatisfação que eu quero provocar. Só voltarei a escrever quando tiver menos 10kg. Hoje pesei 79,1kg, só voltarei aqui quando tiver 68,5kg no mínimo, dando esse espaço de 600g para ter certeza do meu peso. Receio que quando eu voltar serei uma analfabeta, afinal foi a falta de prática que me levou o dom de desenhar. Desenhar meus croquis será meu presente de menos 15kg. Com menos 20kg talvez eu pinte o cabelo... Não sei.
A questão é que eu deixei esse blog sem metas e perspectivas, e não é esse o objetivo. Sem metas traçadas não chegamos a lugar algum. Então vocês serão meu presente quando eu conseguir me livrar de um terço dessa banha ridícula. Obrigada por estarem aqui, por me ajudarem. Eu leio cada comentário com muito amor. Vocês alimentam minha alma vazia.
Bom, já escrevi demais, deveriam ser apenas três linhas.

Amo vocês ❤


LEMBREM-SE:

O vazio é bom. O vazio é forte.